sábado, 7 de abril de 2007

Deve chamar-se tristeza

Deve chamar-se tristeza
Isto que não sei que seja
Que me inquieta sem surpresa
Saudade que não deseja.
Sim, tristeza - mas aquela
Que nasce de conhecer
Que ao longe está uma estrela
E ao perto está não a Ter.
Seja o que for, é o que tenho.
Tudo mais é tudo só.
E eu deixo ir o pó que apanho
De entre as mãos ricas de pó.
Fernando Pessoa

3 comentários:

Girassol disse...

Todos carregamos no coração uma espécie de aperto, que sem dúvida é tristeza.
Como se uma parte de nós fosse o arco-íris, e a outra parte o dia de maior tempestade que se possa imaginar.
Faço um esforço para acreditar que, embora não entendamos os caminhos, eles acabarão por nos guiar até ao lugar a que realmente pertencemos (ou até junto da pessoa com quem realmente temos que estar).

Esta música da Katie Melua traz-me imensas coisas à memória.

Beijo.
Espero que a Páscoa tenha sido boa.

Ricardo disse...

gosto do Fernando Pessoa, mas prefiro seus heteromonios, principalmente o Alberto Caiero, incrivel como ele conseguia criar em varios estilos, e se desvencilhar de si proprio , criando um estilo unico pra cada um... bem diferente do dele mesmo...

SMM disse...

Lindo blog! Se puder me visite, http://sindromemm.blogspot.com
Valeu!

""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""